Anúncios

21 de dez de 2010

Your Highness - a comédia que promete em 2011

No mundo do cinema, entra ano e sai ano e no gênero comédia a única coisa que temos são aquelas paródias que não fazem ninguém (com cérebro) rir. Desde Todo Mundo em Pânico nenhuma paródia prestou. Tivemos, por exemplo, Deu a Louca em Hollywood, Espartalhões entre alguns mais - um mais sofrível que o outro. Em 2010 a bomba da vez foi Os Vampiros que se Mordam (Vampire Sucks), parodiando a igualmente ruim, Saga Crepúsculo. 

Em 2011 o filme Your Highness, parece promissor para mudar a situação lamentável do gênero comédia nos cinemas. Dá pra notar o nível da produção começando pelo elenco que conta com a belíssima Natalie Portman (Piratas do Caribe, Desejo e Reparação, Orgulho e Preconceito),  a competente Zooey Deschanel (500 Dias Com Ela, Sim Senhor, Fim dos Tempos), o galã James Franco (Homem-Aranha, Milk - A Voz da Igualdade), e o comediante Danny McBride (Um Parto de Viagem, O Elo Perdido, Trovão Tropical). Um elenco bem versátil e de qualidade – competência para atuar todos eles possuem.

O filme está longe de sua estreia e até o momento possui dois trailes – que já dão uma noção de que se trata de uma superprodução. Ao menos no quesito figurino e cenografia o filme não deixa a desejar e chega a fazer frente a grandes produções de fantasia e no quesito efeitos visuais, humilha muitos filmes recentes como Percy Jackson. Para um longa de comédia, ele tem nível de Senhor dos Anéis.

Na história, James Franco é Fabious, um príncipe que tem que resgatar sua esposa, Belladonna (Zooey Deschanel), rapitada pelo mago Leezar (Justin Theroux). Para isso, terá a ajuda de seu irmão preguiçoso Thadeous (Danny McBride) e a bela guerreira Isabel (Natalie Portman) – a quem Thadeous está interessado.
Pela grandeza da produção, o orçamento deve ter sido bastante alto – e nenhum estúdio seria suicida a ponto de fazer tal investimento caso o filme não fosse realmente bom. A produção tem censura R – que no Brasil deve restringir a película para menores de 16 anos, isso devido as cenas de nudez, linguagem inadequada e violência. Previsto para chegar aos cinemas dia 8 de abril de 2011.



19 de dez de 2010

Quem tem medo do lobo mau? Chapéuzinho vermelho volta aos cinemas!

A historinha infantil Chapéuzinho Vermelho (Red Riding Hood) vai voltar aos cinemas, mas desta vez sem vovózinha (sem docês pra velha também) e com muito sangue e um lobisomem ao invés de um simples lobo-mau. 

Não estava interessado neste filme até saber que Fever Ray está participando com uma música inédita na trilha sonora – ai a coisa mudou de figura. Fui logo pesquisar um pouco mais sobre a película. O longa tem ninguém menos que Leonardo Dicaprio como produtor. O responsável por mudar de historinha infantil pra história de horror é o roteirista David Leslie Johnson (que tem no currículo o roteiro de A Órfã) e a direção fica a cargo Catherine Hardwicke, a diretora de Crepúsculo.

Desta vez, chapeuzinho vermelho é Valerie (Amanda Seyfried), ela se apaixona pelo forasteiro Peter (Shiloh Fernandez), o problema é que ela está comprometida com Henry (Max Irons) devido a um casamento arranjado pela família. Como o amor é uma coisa linda (né, meu povo?), Valerie e Peter decidem fugir. Antes que pudessem consumar o plano, a irmã mais velha de Valerie é assassinada por um lobisomem que ronda a floresta da redondezas do vilarejo. Por muitos anos o povo do vilarejo ofereceu animais como sacrifício para o lobisomem não atacá-los, mas com a lua vermelha o lobão precisa de humanos. Putos da vida, o pessoal chama o caçador de lobisomem Solomon (Gary Oldman) para dar cabo a fera. Ai surge o impasse – o lobisomem pode ser qualquer um do vilarejo (tá, ninguém sabe que no final ele vai ser o Peter, né?)

Como se trata de Catherine Hardwicke na direção, podemos esperar um filme bem voltado para o público adolescente, que é o forte dela que dirigiu filmes como Crepúsculo e Aos Treze. Entretanto, podemos esperar um filme bem interessante, Catherine é bastante criativa – Crepúsculo, por exemplo, embora tenha efeitos especiais, entre outros quesitos técnicos bastante precários, é uma obra de arte considerando o orçamento que ela teve disponível e a história de base. No quesito de direção, Crepúsculo é bem marcante, com movimentos de câmeras inusitados e originais, sem contar a fotografia simplista mas muito agradável.

Catherine teve uma liberdade criativa maior em A Garota da Capa Vermelha (Red Riding Hood). Pelo primeiro trailer temos uma fotografia (assinada pela premiada Mandy Walker) que parece tirada dos contos de fadas. Lembra um pouco a  fotografia do filme Os Irmãos Grimm, só quemais natural, mais bonita e com figurinos melhores. A trilha sonora é composta por Brian Reitzell (30 Dias de Noite).

Fever Ray, em seu site oficial, informou que participará na trilha sonora com uma canção original e inédita composta pelo grupo (que já teve uma preview no trailer do filme). A novidade não termina ai: Karin Dreijer negou no site do Fever Ray, mas a diretora afirma que Karin  faz uma ponta no filme durante um baile de máscaras inspirado no quadro O jardim das Delícias (um quadro lindo, por sinal). 

O jeito é esperar e assistir. A Garota da Capa Vermelha (Red Riding Hood) chega aos cinemas em março de 2011.



Outro conto infantil que está em negociação para ganhar as telonas em uma versão de horror é A Branca de Neve e, dizem as boas línguas, Tarsem Singh (A Cela e Dublê de Anjo) assume a direção - se for verdade, não perco esse filme por nada!

17 de dez de 2010

Army of Love - ouça agora a nova música da Kerli!

Kerli é uma cantora estoniana, laçou seu primeiro álbum intitulado Love is Dead em 2008. O álbum tem uma sonoridade que mistura um eletrônico meio pop, meio rock de uma maneira bem melancólica. Com forte influência da banda Evanescence, Love is Dead é um álbum introvertido, com muitas sombras, lápis preto no olho e intimista. Caracteristica que não ficou apenas na sonoridade, mas em toda arte gráfica do disco todo construído no estilo lowbrow e também nos vídeos, como em Walking on Air em que a cantora encarna a bonequinha de porcelana gótica e em Love is Dead – que serviria de comercial para Plástica Natural da Eloísa Medina.

No começo de 2010 ela participou do CD de músicas inspiradas no filme Alice no País das Maravilhas, de Tim Burton, Almost Alice, cantando Strange (em uma parceria com o grupo Tokio Hotel) e Tea Party, já demonstrando uma sonoridade menos sombria, embora ainda não tão distante do Love is Dead

Agora, Kerli começou a divulgar seu novo álbum ainda sem título, que ela está produzindo e tem previsão de ser lançado em 2011. Dia 16 ela disponibilizou no iTunes a música Army of Love, demonstrando um completo distanciamento da sonoridade do primeiro álbum. Segundo ela, seu novo disco lançará um novo estilo musical chamado Bubble Goth: mais alegre, divertido mas ainda com a bagunça de Love is Dead. O conceito do álbum será “a superação das trevas interiores, parar de culpar o mundo pelo que está errado...  tomar responsabilidade nisso, ser inspirado e inspirar os outros.”

Pela música Army of Love é notável a diferença sonora que este novo álbum terá. A música é mais agitada, alegre. Deixa de lado aquela influencia do Evanescence, com todas as guitarras e bateria e se aventura na batida mais pop e eletrônica e também trabalha mais os vocais com sintetizadores - uma música muito mais produzida que as do álbum anterior e com um refrão mais cativante – viciante mesmo. 





Pra quem não conhecia Kerli, fica ai a dica. Ela é bastante criativa, toma partido em todo seu trabalho desde a composição das músicas até a confecção dos figurinos e objetos dos vídeos clips, ela bota a mão na massa mesmo. Alguns a comparam com Lady Gaga – o que é triste, já que a Kerli não usa apelo sexual pra se promover. A voz dela também tem um charme especial.

*Desculpem minha ausência - final de semestre a coisa fica puxada na faculdade. Agora que estou de férias pretendo aparecer com mais frequência por aqui e trazer muitas novidades!